WellFood Ingredients Summit consolida-se como vetor de inovações para a indústria de alimentos funcionais, nutracêuticos e saudáveis

 

- 2ª edição do evento reuniu 33 expositores, representando mais de 50 marcas líderes do mercado de ingredientes

- Presença de 2.000 visitantes e 750 congressistas, um aumento de 36% comparado à primeira edição  

- Destaque para o público altamente qualificado, incluindo compradores de grandes indústrias de alimentos como Nestlé, Danone, Dr. Oetker e JBS, além de indústrias farmacêuticas, como EMS, Eurofarma, Sanofi e Grupo Cimed

- Palestras de altíssimo nível abordaram regulatórios, nova aplicações, comunicação e hábitos de consumo

- ANVISA participa do evento e afirma que o momento é de otimização dos passos regulatórios

 

Nos dias 3 e 4 de abril, mais de 2 mil profissionais das indústrias de alimentos, bebidas, produtos nutracêuticos e indústria farmacêutica se reuniram na segunda edição do WellFood Ingredients Summit, única plataforma de negócios e conhecimento focada em ingredientes funcionais e benéficos à saúde, para debater sobre as principais tendências e oportunidades no uso de ingredientes com propriedades funcionais e saudáveis. Os desafios de comunicar o consumidor sobre os produtos industrializados foi um dos temas mais abordados durante o evento, que teve 33 marcas expositoras, incluindo grandes players do mercado como Sensient, DSM, Duas Rodas, Beneo, Alibra, CHR Hansen, GNT, Doremus, M Cassab, Tate & Lyle, Ingredion, entre outros grandes players do setor. “A segunda edição do WellFood Ingredients Summits foi um grande sucesso, o evento teve uma excelente visitação durante os dois dias, os expositores muito satisfeitos com a qualidade do público, com a presença de tomadores de decisão das indústrias alimentícias e farmacêuticas. O formato único do WellFood Summit, bem focado no setor e com a presença de compradores qualificados é o grande diferencial do evento. Nossa visitação foi 36% maior em comparação à edição anterior e isso reforça o reconhecimento do mercado em relação à importância de continuarmos neste ritmo de crescimento. Tanto que todos os expositores já sinalizaram a intenção de estarem novamente na edição de 2021”, afirma Cassiano Facchinetti, diretor geral da Koelnmesse Brasil, empresa organizadora do evento. Entre os visitantes, estavam representantes de grandes indústrias de alimentos e bebidas como Ajinomoto, Arcor, Bauducco, Bimbo, BRF, Dr. Oetker, Catupiry, Danone, Unilever, Heineken, JBS, Nestlé, AMBEV, Natural One, etc. O setor farmacêutico também foi representado em peso com visitantes da Libbs, Apsen, Sanofi, EMS, Aché, entre outras gigantes.

 

Foram mais de 30 palestras, com renomados speakers nacionais e internacionais, incluindo o congresso principal e as apresentações do Speaker´s Corner, com membros ligados diretamente ou indiretamente à indústria, que abordaram temas como regulatórios, saudabilidade dos produtos industrializados, alternativas de comunicação, hábitos de consumo, tendências globais, novas formulações, etc. A indústria está diante de um mercado cheio de novas nuances, com consumidores heterogêneos e conceitos amplos sobre saúde, sustentabilidade e consumo. O que implica um campo desafiador que encara ainda questões regulatórias rígidas e comunicação truncada entre os órgãos normativos, impactando diretamente na dificuldade do setor em se comunicar com seu consumidor de forma transparente.

 

De acordo com Luis Madi, Diretor de Assuntos Institucionais e Internacionais da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo (ITAL), a indústria aposta fortemente na segurança dos alimentos, porém, o consumidor não tem acesso a esse tipo de informação. “Não chega até a população a evolução da ciência no setor. A desinformação acaba se tornando a maior vilã da indústria”, afirma Madi.

Com o objetivo de tornar o processo de registro de produtos mais ágil, simples e seguro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) vem modificando sua estrutura regulatória. Dra. Ligia Lindner Schreiner, gerente de Avaliação de Risco e Eficácia de Alimentos do órgão, que palestrou no evento dentro do workshop da ABIAM, afirma que o momento é de otimização dos passos regulatórios. “O momento é de melhorarmos os processos e do setor entender esse novo contexto, essa nova abordagem. Todos nós queremos alimentos mais seguros e com mais qualidade”, diz Schreiner.

Saúde e industrializados

A saudabilidade também foi um tema bastante explorado durante o evento. Trazer ingredientes e aditivos naturais para os produtos industrializados é uma maneira de atender uma demanda de mercado que preza pela naturalidade do que consome. Além disso, os elementos naturais podem ajudar a tornar os produtos mais funcionais.

Stéphanie Pretesacque, representante global da Diana Food, explica que é possível extrair esses elementos naturais e inseri-los nos alimentos industrializados, aumentando a funcionalidade dos produtos. “A vitamina C da acerola, uma fruta vasta no Brasil, pode ser colocada no lugar da vitamina C artificial. Por ser natural, sua absorção é mais rápida e mais efetiva”, diz a porta-voz.

Outros expositores também trouxeram o conceito de naturalidade em relação a outros componentes, como corantes, por exemplo, visando que a indústria explore esses elementos e oferece opções cada vez mais saudáveis aos seus consumidores.

Público com poder de decisão e projeção das marcas é destaque, na opinião de expositores do WellFood

Intercâmbio de ideias, exposição de produtos para um público com poder de decisão, projeção nacional e internacional das marcas e informação sobre novidades e tendências do setor foram algumas das opiniões de expositores presentes na 2ª edição do WellFood Summit.

Muito satisfeito com os resultados, Gerson Leme, gerente geral da Sensient, patrocinadora Diamond do evento, afirma que o WellFood está em consonância com o objetivo da feira, que é algo orgânico e natural. “A indústria de alimentos está movendo para o natural e orgânico, exatamente o que a gente oferece. Nós ‘casamos’ com o evento desde a primeira edição, fomos o patrocinador máster do último e também neste, pois estamos em conjunto com a ideia do WellFood. Nós acreditamos no sistema e no formato da feira. Essa feira é totalmente diferente de todo tipo de evento que participamos”.

José Roberto Fernandes, diretor de vendas da DSM para o Cone Sul, destacou a qualidade dos palestrantes como um diferencial da feira. “O aspecto da feira é um pouco diferente do que estamos acostumados. Ela [a feira] está muito ancorada em um seminário técnico, um congresso, o que é bastante importante pra gente. Nós somos uma empresa que está bastante ligada no que é a ciência. Ter um evento ligado a um congresso com palestrantes de alto nível é muito satisfatório”, afirma Fernandes.

Para Juliana Hirata Terra, gerente da Beneo na América Latina, estar na feira foi a oportunidade de ampliar o nome da empresa, que já é conhecido, porém teve a chance de avançar nas relações com os visitantes. “A maioria das pessoas que nos procuram já ouviu falar da Beneo, então já vêm focadas em uma determinada linha ou ingrediente, mas querem mais informação para se aprofundarem em uma determinada aplicação. A maioria das visitas que tivemos resultou em futuras visitas no próprio cliente”, diz a gerente.

 

O Gerente de aplicações da CHR Hansen, Paulo Rogério da Silva, ressaltou a diversidade e a qualidade dos visitantes que passaram pelo seu estande. “Recebemos pessoas que estão diretamente envolvidas com os negócios, no business de produção da indústria de alimentos, os grandes players do mercado, mas também vimos participação bastante intensa de start-ups e empresas pequenas, que acabam tendo um foco interessante no que nossa marca propõe”, disse. A gerente de contas da Nexira, Maria Fernanda de Oliveira, compartilhou da mesma opinião. “O WellFood reúne segmentos variados da indústria de alimentos, farmacêutica e de bebidas no geral. Gostamos bastante do público”, completou.

 

Entre os patrocinadores, a Duas Rodas sinalizou, ainda, a necessidade do WellFood acontecer anualmente. “A gente vê que o WellFood ganha cada vez mais importância, ela acontece a cada dois anos, e acredito que deveria reduzir esse espaço de tempo entre as edições. O que tem acontecido aqui é o que o mercado está pedindo”, frisou o gerente de marketing da empresa, Marco Paulo Pereira Henriques. A importância do evento para os negócios da Tate & Lyle foi ressaltada por Renata Cassar, profissional responsável pela responsável por nutrição na América Latina, pela empresa. “O WellFood é uma grande oportunidade porque ela reúne todo o setor em dois dias que são muito proveitosos em relacionamentos, que são construídos e aprofundados. Daqui muitas vezes  saem novos projetos que são chaves para a companhia”, finalizou.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Desenvolvido por KYU design gráfico