O Brasil pode alimentar o mundo, afirma ministra durante palestra no Congresso ANUFOOD


O Brasil saiu da lista dos 20 maiores importadores de alimentos do mundo e hoje detém 20% das exportações mundiais de produtos alimentícios. O dado foi apresentado pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias, durante sua palestra no Painel “Segurança Alimentar” que abriu o Congresso ANUFOOD, no São Paulo Expo, na tarde desta terça-feira.

A ministra lembrou aos participantes do Congresso, que acontece em paralelo com a ANUFOOD Brazil – Feira Internacional Exclusiva para Alimentos e Bebidas, que a agropecuária ocupa atualmente apenas 30% das terras. “Temos 60% da área do nosso território com cobertura florestal. Portanto, ensinamos ao mundo que é possível produzir alimentos e preservar o meio ambiente.”

Os desafios que se colocam, na opinião de Tereza Cristina, são as barreiras impostas à importação de produtos brasileiros por outros países, garantir a segurança jurídica para o produtor rural, melhorar o acesso aos insumos mais modernos e eficientes. Mesmo assim, a ministra entende que “seremos um exemplo de desenvolvimento no século 21, produzindo mais, com mais eficiência e preservando o meio ambiente”. “A experiência do Brasil mostra que é possível haver convivência harmoniosa entre os produtores agrícola e a preservação pois tivemos, em 20 anos, um aumento de produtividade de 400% enquanto a área plantada cresceu apenas 33%. Podemos alimentar nosso país e atender as demandas mudiais”, garantiu.

 

O Papel da América Latina na Segurança Alimentar

A América Latina tem grande potencial para ampliar a produção de alimentos. A opinião é do diretor geral do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), Manuel Otero, segundo palestrante no painel “Segurança Alimentar”.

Otero traçou um panorama sobre “O Papel da América Latina” no cenário global. Com crescimento anual de 8%, a produção de alimentos nos países latinoamericanos já coloca a região como líder nas exportações de oleaginosas, aves, café e frutas. “Mas ainda temos alguns desafios que freiam a nossa expansão como a infraestrutura para produção e comércio. Para se ter uma ideia 28% dos alimentos se perdem na produção. Do restante, 21% são perdidos no manejo e armazenagem, outros 6% no processamento, 17% na distribuição e 28% no consumo”, lamentou Otero.

O diretor do IICA disse ainda que fatores como degradação do solo, estresse hídrico criam barreiras para o crescimento da produção na América Latina. “Precisamos produzir mais e melhor e, para isso, é necessário desenvolver uma inteligência sanitária para atacar esses problemas”.

 

Desafio do século 21 é alimentar uma população crescente no mundo

Garantir alimentos para uma população que já ultrapassa 7,5 bilhões de pessoas é o grande desafio no século 21. Segundo a USDA (o ministério da Agricultura do Estados Unidos) nos próximos dez anos a oferta de comida precisa crescer 20% para atender ao aumento populacional. Como grande parte dos países não possui condições de fazer sua produção também aumentar os mesmos 20%, o Brasil terá que ter um acréscimo de 41% em suas lavouras.

Os dados foram apresentados pelo ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, coordenador do centro do Agronegócio da Fundação Getúlio Vargas, que falou sobre o “Cenário Global” durante o painel “Segurança Alimentar”, no Congresso ANUFOOD, no São Paulo Expo. “Precisamos criar estratégia com competência para poder conseguir atingir essa meta”.

Rodrigues defende, no entanto, que o país deixe de exportar apenas matéria-prima, agregando valor aos produtos agrícolas. “Temos que olhar para os interesses do mundo, mas também precisamos oferecer nossos produtos prontos para o consumo, conseguindo melhores preços”, disse.

Otimista, o ex-ministro da Agricultura garante que “vamos ser os campeões em segurança alimentar em dez anos. “Isso só depende de nós, com estratégia, seguro rural e somando forças com a América Latina”, concluiu.

 

Espaço ConPizza tem apresentações com pizzaiolos renomados da culinária italiana na ANUFOOD

O espaço ConPizza tem levado um grande público à Arena Gourmet na ANUFOOD Brazil com apresentações sobre a culinária italiana. Pizzaiolos renomados preparam receitas, dão dicas para os visitantes e apresentam as inovações do setor. As aulas são promovidas pela Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) e o Instituto ConPizza.

De acordo com o diretor do instituto ConPizza e da Abrasel Carlos Zoppetti, o conceito de novidade no Brasil é diferente em comparação com o resto do mundo. “Elaborar uma pizza de longa fermentação, por exemplo é novo aqui, mas não em outros países. A técnica já é difundida no mundo inteiro há mais tempo. Por isso, a importância em consolidar esse tipo de técnica em um evento como a ANUFOOD”, explica.

Dentre temas no primeiro dia de apresentações, os consultores falaram sobre a pizza clássica no mundo, a evolução no Brasil e fizeram demonstrações de produção de pizza artesanal e massas com uso do forno de lastro.

As apresentações seguem até quinta-feira (14) no São Paulo Expo. “Vamos ver nos próximos dias técnicas de produção pelos nossos consultores de pizzas alla Pala e al Taglio, por exemplo. Assim como aconteceu hoje, o público poderá degustar o que será feito” , conclui Zoppetti. Veja a programação completa do ConPizza aqui.

 

Projeto da Abrasel leva pequenos produtores à ANUFOOD Brazil

Pequenos produtores de alimentos e bebidas participam da ANUFOOD Brazil – Feira Internacional Exclusiva para Alimentos e Bebidas. Convidados pela Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) eles receberão visitantes em um ambiente reservado exclusivamente para eles no estande da entidade.

Para o produtor de café de Caconde, na região Metropolitanda de Campinas, Ademar Pereira, essa é uma grande oportunidade para os pequenos. “Jamais teríamos condições ou estrutura para participar desses grandes eventos”.

Pereira, que há três anos integra o grupo de convidados da Abrasel, vê vantagens para todos no projeto. “Percebo que nossos objetivos estão em linha com os desejos dos compradores, que é tirar o atravessador da cadeia. Sentamos com os donos de restaurantes, bares, hotéis e negociamos. Isso reduz o preço final dos produtos, beneficiando também o consumidor”, explica.

Foi em uma das feiras que participou a convite da Abrasel, que Pereira conseguiu o que era inimaginável para ele. “Um empresário chinês me procurou para saber se podíamos adaptar o produto para o gosto dos consumidores da China. Fizemos um estudo e hoje fornecemos sachês semelhantes aos do chá para ele. Nunca imaginamos exportar”, garante

Segundo Ana Salles, diretora de eventos da Abrasel SP, idealizadora do projeto, o objetivo é de aproximar o pequeno produtor do dono de bar, do restaurante, da hotelaria. “O pequeno produtor não tem estrutura, com equipe de vendas para chegar até esses clientes em potencial. E na feira eles fazem muitos contatos”, lembra.

 

Outras atividades

Dividido em três ambientes, o estande da Abrasel na ANUFOOD Brazil promoveu um coquetel com pizzaiolos da Scuola Italiana Pizzaioli, que também está oferecendo oficinas nos três dias da feira na Arena Gourmet. “Os visitantes poderão se inscrever no próprio estande, pois o número de participantes é limitado”, explica Ana.

No dia 13, também na Arena Gourmet, que fica em um dos ambiente do estande da Abrasel, ocorrerá uma ação da Gastromotiva sobre aproveitamento de sobras de alimentos. “Será voltada para donos de restaurantes e bares”, diz a diretora da associação. “Também teremos um evento com a secretária Aline Cardoso, da Secretaria de Trabalho e Empreendedorismo Social, que falará sobre o projeto de combate ao desperdício de alimentos”, afirma. Também será apresentado o projeto ‘Sobrou, Levou’ que consiste em conscientizar os consumidores a pedir para embrulhar para viagem as sobras das refeições, que poderão ser consumidas mais tarde ou doadas, evitando o desperdício.

No último dia de evento, a Abrasel receberá David Hertz, Ceo da Gastromotiva, para uma palestra sobre o projeto que levou à criação do Movimento da Gastronomia Social, uma iniciativa global que conecta pessoas, projetos, empresas, universidades, agências internacionais, governos e a sociedade civil em torno do poder transformador da comida. Fome, desperdício, falta de oportunidades, obesidade e má nutrição são desafios globais que demandam ações conjuntas.

A 1ª edição da ANUFOOD Brazil tem o patrocínio do Banco Fator. O evento é exclusivo para profissionais do setor, que devem fazer o credenciamento pelo site www.anufoodbrazil.com.br.

A programação do Congresso ANUFOOD e as informações para inscrições estão no link http://www.anufoodbrazil.com.br/congresso/.

Fonte: Assessoria de Imprensa

 

 

Desenvolvido por KYU design gráfico