No Dia Mundial do Meio Ambiente marcas destacam a importância de iniciativas sustentáveis para uma indústria mais consciente

No Dia Mundial do Meio Ambiente marcas destacam a importância de iniciativas sustentáveis para uma indústria mais consciente

Investir em embalagens eco-friendly e contornar atividades, como a pecuária, estão entre as soluções apresentadas pela Superbom para manter a saúde do planeta

Comemorado em 5 de junho, o Dia Mundial do Meio Ambiente foi criado pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o objetivo de conscientizar a população sobre os problemas ambientais do planeta, além de levantar a reflexão sobre a importância de preservar os recursos naturais. Um levantamento realizado pelo Fundo Mundial para a Natureza (WWF) no ano de 2019, apontou que o Brasil é quarto país no mundo que mais produz lixo, com cerca de 11 milhões de toneladas geradas anualmente, contra 1,28% de itens reciclados.

Sabendo que o descarte irregular transmite doenças, afeta a sobrevivência dos animais e prejudica a saúde do ser humano, a Superbom , empresa pioneira na produção de alimentos saudáveis, conta com iniciativas que contribuem com o meio ambiente e garantam um modo de vida mais sustentável. “Desde a seleção de ingredientes em seu catálogo, até a embalagem de cada artigo, a marca certifica seus cuidados com o bem-estar e acredita que a saudabilidade vai muito além da refeição no prato”, afirma David Oliveira, Diretor de Marketing da marca.

Sua preocupação com o planeta começa em seu catálogo, onde os protagonistas são os ingredientes colhidos na natureza. “A Superbom aposta na sua linha plant-based, oferecendo empanados, salsichas e hambúrgueres à base de plantas, como ervilha e grão de bico. Essas são opção perfeitas para substituir a carne animal e fazer a sua parte pelo meio ambiente”, ressalta.

De acordo com o especialista, o mercado pecuário no país tem fortes impactos negativos para a manutenção do clima global. Um relatório do Greenpeace, do ano de 2018, revelou que a produção de carne emite o mesmo volume de Gases do Efeito Estufa que todos os carros, caminhões, navios e aviões juntos no planeta, além de ser o principal vetor de desmatamento na Amazônia. “Essa indústria também envolve altos gastos com água e polui afluentes aquíferos e o solo com agentes químicos”, detalha.

Outro grande princípio da marca é refletido na escolha de utilizar embalagens de vidro, lata e papelão para seus produtos. Um estudo realizado pela ONU Meio Ambiente apontou que o plástico é o maior desafio ambiental do século, onde há uma estimativa de que, todos os anos, 13 milhões de toneladas de lixo plástico são depositados na natureza. “Da mesma forma que optamos por materiais que mantenham a qualidade e sabor dos nossos produtos, consideramos as consequências do lixo na natureza”, explica.

Sobre as opções de embalagem, David garante que ainda que seja reciclado centenas de vezes, o vidro também não se decompõe em substâncias químicas nocivas à terra ou aos oceanos, além de que seu processo de reciclagem é o mais limpo e consome menos matéria-prima e energia na produção. Já o metal é o aço mais reciclado do mundo, incentivando, assim, a sustentabilidade, por reduzir a necessidade da retirada de mais recursos naturais. Por fim, o papelão se trata de uma matéria orgânica, sendo um dos materiais de mais rápida decomposição.

“Ao não compactuar com o desmatamento de florestas, com a poluição de rios e mares e defender a vida de todos os seres vivos, a Superbom estimula um modo de vida saudável e sustentável. Com a consciência que temos adquirido nos últimos anos, é essencial que todas as empresas tenham a obrigação social de investir em soluções sustentáveis para uma melhor qualidade de vida”, conclui.

Desenvolvido por KYU design gráfico