Grupo 3 Corações é a grande campeã da 14º Edição Especial dos Melhores Cafés do Brasil – Safra 2017


 

A líder nacional no segmento de café torrado e moído deu os maiores lances e sagrou-se campeão do 14º Concurso Nacional ABIC de Qualidade do Café

 

Conquistando as premiações nas categorias Diamante, Ouro e Especial o Grupo 3 Corações sagrou-se a grande campeã da 14ª Edição Especial dos Melhores Café do Brasil – Safra 2017. O Grupo foi o que mais investiu em qualidade, com o total de R$ 33.000,00, tornando-se campeão na Categoria Diamante. A empresa também arrematou o lote de 6 sacas do produtor Antônio Rigno de Oliveira, de Piatã (BA), pagando R$ 2.500,00 por saca, totalizando R$ 15.000,00. Foi o maior valor de aquisição por saca, entre os lotes de café Natural e Cereja Descascado, o que rendeu o título de campeã na categoria Ouro.

 

Além de todo o lote do produtor Antônio Rigno, a 3 Corações arrecadou as duas sacas do café campeão do 14º Concurso, produzido por Leticia Conceição Quintela de Alcântara na Fazenda Divina Espírito Santo, também de Piatã (BA), por R$ 9.000,00 cada. Este feito tornou a empresa campeã também da categoria Especial, que corresponde ao maior lance dado a um microlote (composto de 2 sacas, apenas).

 

A cafeteria carioca Armazém do Café, arrematou 2 sacas da produtora Sebastiana de Oliveira Faria, 4ª colocado no Concurso e 2 sacas do produtor Eufrásio Souza Lima, 5º colocado, num total de R$ 6.800,00. Também participam da edição as seguintes torrefações e cafeterias: Café Monte Líbano, Café Cajubá, Café Rancheiro,  Barisly Café, BonBlend Café,  Grão Café. Com, Santo Grão, Hachimitsu, Café com História, Prelúdio Cafés Especiais, Villa Januária e Dengo Cacau e Café.

 

Todos os cafés lançados nessa edição estarão à disposição dos consumidores no comércio varejista e nos sites das próprias empresas participantes, em embalagens sofisticadas, adesivadas e identificadas, ofertadas em diversas opções de embalagens e formas de preparo, como expresso e cápsulas.

 

A edição junta-se a diversas outras ações da ABIC que visam incentivar a oferta de cafés de maior qualidade ao consumidor, com uma grande diversificação de opções, buscando sempre abrir novos mercados.

 

O leilão dos 11 lotes finalistas do 14º Concurso Nacional ABIC de Qualidade do Café, que aconteceu entre os dias 30 de janeiro e 08 de fevereiro, vendeu 40 sacas, arrecadando o valor total de R$ 73.139,00. O valor médio por saca ficou em R$ 1.828,48, mais do que o dobro do preço mínimo estipulado, de R$ 893,00 a saca (equivalente a 70% acima da cotação da BMF/Bovespa de 26/01/2018).

 

CONCURSO

 

O concurso, que une produtores, industriais, cafeterias e varejo, visando ampliar o mercado de cafés de qualidade, tem a participação de lotes inscritos pelos organizadores dos certames estaduais do Paraná, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais e São Paulo.

 

A avaliação é dividida em 3 fases: Um júri técnico, com um peso da nota de 70%, uma verificação da sustentabilidade da propriedade rural, com peso de 15% e um júri popular, com 15%.

 

Resultado do Júri

 

No dia 12 de dezembro de 2017 foi realizada a etapa do Júri Técnico, no laboratório do Sindicato das Indústrias de Café do Estado de São Paulo. Foram selecionados 11 lotes finalistas, após avaliação da Qualidade Global conforme metodologia do PQC – Programa de Qualidade do Café, atribuindo-se uma pontuação de Zero a 10 pontos para cada um.

 

O microlote da cafeicultora Letícia Alcântara, produzido na Fazenda Divino Espírito Santo, no município de Piatã, na Bahia, recebeu a maior avaliação do grupo técnico: 8,62 pontos. Em segundo lugar, ficou o lote de café cereja descascado produzido por Antônio Rigno de Oliveira em São Judas Tadeu, também em Piatã, Bahia, com 8,53 pontos. E em terceiro, mais um microlote: o do produtor Manoel Protázio de Abreu, do Sítio Forquilha do Rio, de Dores do Rio Preto, Espírito Santo, com 8,52 pontos.

 

No quesito sustentabilidade são avaliados os itens sobre condições de trabalho, a não existência de trabalho escravo e infantil, rastreabilidade, identificação dos lotes, registros e georreferencias, entre outros.

 

O júri popular é uma iniciativa inédita, criada pela ABIC em 2015, que visa incluir a opinião e percepção sensorial de pessoas que gostam de café, na escolha dos melhores grãos do Brasil. Dividido em etapas regionais (os mesmos estados participantes – PR, BA, ES, MG e SP), leva em consideração as diferenças de hábitos e costumes dos consumidores de cada localidade.

 

Produtora Campeã:

Produtora: Letícia Conceição Quintela de Alcântara

Piatã – Bahia – Altitude da Lavoura: 1.350 m

Safra: 2017 – Café Arábica – Variedade: Catuaí – Cereja descascado

Característica da bebida: aroma de cereais, caramelo, bebida limpa com acidez marcante e corpo aveludado.

 Fonte: Assessoria de Imprensa

 

 

 

 

 

Desenvolvido por KYU design gráfico