Cientista brasileira recebe prêmio internacional da L’Oréal e UNESCO


Patrícia de Medeiros é uma das 15 cientistas a receber prêmio global por estudo sobre uso de plantas pouco convencionais na alimentação humana

A pesquisadora brasileira Patrícia de Medeiros, etnobotânica professora da Universidade Federal de Alagoas, é uma das duas jovens cientistas da América Latina — sendo 15 do mundo todo — a receber o prêmio International Rising Talents 2020, da Fundação L’Oréal e Unesco. Elas foram selecionadas por um júri internacional de especialistas, entre mais de 250 doutoradas e pós-doutoradas dos programas regionais For Women In Science, de 2019. Patrícia receberá uma bolsa-auxílio de 15 mil euros para ser investida em sua pesquisa.

A pernambucana estuda as PANC — plantas alimentícias não convencionais — como araçá, cambuí e maçaranduba. Seu objetivo é auxiliar pequenos agricultores do Nordeste do Brasil a identificar, divulgar e comercializar novos produtos; colocar novos alimentos no prato dos brasileiros, em especial na região NE. Para a cientista, esta é uma forma de aumentar a segurança da produção, uma vez que essas plantas são mais adaptadas aos seus ambientes, além de reduzir a necessidade de agrotóxicos e fertilizantes. A etnobotânica foi indicada ao prêmio internacional após ter sido contemplada no Brasil com uma bolsa do programa “L´ORÉAL-UNESCO-ABC Para Mulheres na Ciência”, em 2019.

Três brasileiras já foram reconhecidas anteriormente no International Rising Talents: a farmacêutica Carolina Horta, em 2015; a química Elisa Orth, em 2016; e a bióloga Fernanda Werneck, em 2017; todas também vencedoras do “Para Mulheres na Ciência”.

“É um privilégio ter sido contemplada com esse prêmio. Vencer também na etapa internacional aumentará ainda mais a projeção do meu trabalho. Minhas expectativas são de ampliar as redes de colaboração internacionais e conseguir mais financiamento para minhas pesquisas”, celebra a jovem cientista.

Pernambucana de 33 anos, Patrícia cursou graduação na Universidade Federal de Pernambuco, seguida de mestrado e doutorado na Universidade Federal Rural do mesmo estado. Atuou por quase cinco anos como professora de Biologia na Universidade Federal da Bahia. Desde 2015, ela é professora dos cursos de Agroecologia e Engenharia Florestal da Universidade Federal de Alagoas (UFAL).

Sobre a premiação
O objetivo do International Rising Talents é impulsionar o percurso de excelência de jovens e promissoras cientistas até se tornarem pesquisadoras internacionalmente reconhecidas em todo o mundo através de uma bolsa-auxílio de 15 mil euros. Essa premiação é concedida a 15 jovens cientistas por ano, das diferentes regiões do mundo: África e Estados Árabes, Ásia e Pacífico, Europa, América Latina e América do Norte.

Desenvolvido por KYU design gráfico