BENEO investe € 50 milhões em planta de amido de arroz de Wijgmaal


Expansão de 50% da capacidade de produção na Bélgica até 2022

 

A BENEO, um dos principais fabricantes de ingredientes funcionais, anunciou um aumento de 50% na capacidade de produção em sua unidade de Wijgmaal para atender à crescente demanda dos clientes por seus amidos de arroz. Um processo de expansão em duas etapas, avaliado em € 50 milhões, o que levará ao aumento da capacidade até março de 2022.

 

O BENEO prevê que a crescente demanda por produtos com rótulos limpos e ingredientes naturais, em aplicações como produtos de confeitaria revestidos, se intensifique nos principais mercados existentes, incluindo Europa e Américas. O arroz é amplamente considerado um produto familiar e reconhecível, com 61% dos consumidores em todo o mundo considerando o amido de arroz como natural[i], tornando-o o ingrediente ideal para o desenvolvimento de produtos que respondem à crescente tendência de rótulos limpos e mais claros.

 

Roland Vanhoegaerden, Operations Managing Director Speciality Rice Ingredients na BENEO observa que a natureza do negócio de ingredientes é de pensamento de longo prazo e resiliência econômica. “Acreditamos fundamentalmente no valor desse investimento, com a demanda por amido de arroz aumentando devido ao crescimento de produtos naturais e orgânicos, bem como de novos projetos e aplicações. Uma das principais razões para nossa confiança é a tendência do ‘rótulo limpo’, em que os fabricantes de alimentos estão se afastando de aditivos artificiais e os substituindo por alternativas naturais, como o amido de arroz.”

 

Desde 1º de janeiro de 2020, o dióxido de titânio, usado para preencher irregularidades microscópicas em revestimentos, não é mais permitido em produtos alimentícios na França. Há expectativas de que outros mercados da UE sigam o país ao proibir o aditivo. “Já estamos vendo algumas grandes empresas olhando amido de arroz e em breve, teremos uma capacidade muito maior para atender a essa demanda”, explica Vanhoegaerden.

 

O amido de arroz é capaz de preencher todos os microporos na superfície dos doces revestidos devido ao seu tamanho de partícula muito fino. Esse chamado “efeito de arredondamento” é especialmente benéfico para os fabricantes de confeitaria durante o processo de produção, pois garante um resultado estável, onde as bordas não racham ou lascam. Além disso, o amido de arroz permite a preservação de uma cor branca brilhante por meses.

 

Os ensaios técnicos do Centro de Tecnologia BENEO mostraram que o amido de arroz de rótulo limpo também pode desempenhar um papel importante em uma variedade de outras aplicações, incluindo produtos de panificação e produtos que precisam sofrer condições severas de processamento, como molhos e pet food.

 

A fábrica de Wijgmaal tem uma orgulhosa história de 160 anos na área e a BENEO tem investido significativamente nas instalações nos últimos anos, para torná-la pioneira em sustentabilidade. Um investimento recente em sua estação de ancoragem significa que a empresa agora pode aceitar duas barcaças em sua fábrica, em vez de uma. Como resultado, dois terços da matéria-prima do arroz agora são recebidos por barcaça e apenas um terço por caminhão. “O impacto está na economia de custos, mas também no meio ambiente, devido à menor emissão de carbono e à redução do tráfego. Nossa fábrica fica no meio de uma área urbana e, aumentando o uso de barcaças, podemos reduzir os níveis de congestionamento e ruído no bairro”, explica Vanhoegaerden.

 

A produção de amido de arroz consiste em várias fases: limpeza, imersão, moagem, peneiração, separação, desidratação e finalmente secagem do arroz. O investimento da BENEO nas instalações de Wijgmaal aumentará o número de linhas de produção de duas para três. A primeira fase do investimento BENEO ocorrerá no final do processo de produção das linhas existentes. A instalação de uma terceira linha de secador e drenagem permite à empresa reduzir gargalos e aumentar ainda mais a eficiência. A segunda fase de expansão envolverá o início do processo de produção, começando da imersão até a separação do amido das proteínas na etapa de valorização.

 

A instalação, que atualmente emprega 180 pessoas, adicionará até 20 posições em tempo integral durante o curso da expansão, além de oferecer mais trabalho aos prestadores de serviços de manutenção e engenharia nas proximidades.



[i] HFI Global Trend Study 2018

Desenvolvido por KYU design gráfico